Informes Técnicos


Alimentos Funcionais

 

 

 

 

 

 

Alimento funcional é todo alimento ou ingrediente que, além das funções nutricionais básicas, quando consumido na dieta usual, produz efeitos metabólicos e/ou fisiológicos benéficos à saúde, de acordo com a ANVISA, devendo ser seguro para o consumo sem supervisão médica.

Um conceito mais amplo refere-se aos alimentos funcionais como componentes bioativos, nutrientes ou não-nutrientes, contidos nos alimentos que exercem efeito benéfico à saúde, e esse é dito como “Efeito Funcional”.

As atribuições dos alimentos funcionais estão relacionadas à prevenção contra alguns tipos de “Doenças Crônicas Não Transmissíveis”. São conhecidos como substâncias isoladas ou purificadas de alimentos, geralmente comercializadas em forma de suplemento e não como medicamento.

Os alimentos funcionais não são destinados a tratar ou a curar doenças. Os efeitos positivos devem ser obtidos através de quantidades não tóxicas e devem persistir mesmo após a suspensão de sua ingestão.

As substâncias químicas vegetais, bioativas, que atuam na modulação do metabolismo e proporcionam uma melhoria na qualidade de vida podem ser de origem vegetal ou animal.

A) Fontes Vegetais: soja, tomate, aveia, alho, crucífera, frutas cítricas, chá verde, uvas;


Por exemplo, a ingestão de chá ao longo do dia esta associado a uma redução do risco de doença cardiovascular (DAC) e que o mecanismo pode envolver ação antioxidante dos polifenois. A Sociedade Brasileira de Cardiologia, IV Diretrizes (2007), preconiza 4 xícaras de chá verde por dia.


B) Fontes Animais: peixe, óleo de peixe ( Omega 3).

Os tipos de alimentos e ingredientes funcionais mais consumidos estão relacionados às fibras Alimentares (40%), micronutrientes (20%) e bebidas funcionais (30%).

De maneira geral, os alimentos funcionais são considerados promotores de saúde e podem estar associados ao aumento da expectativa de vida. É importante esclarecer que o simples consumo desse tipo de alimento, com a finalidade de obter um menor risco para o desenvolvimento de doenças, não atingirá o objetivo proposto.
 

O estilo de vida saudável (alimentação saudável, exercícios físicos regulares, ausência de fumo e moderação no álcool) passam a ser primordiais na diminuição do risco de doenças e na promoção de qualidade de vida, desde a infância até o envelhecimento.