Informes Técnicos


Açúcar e Câncer

A ingestão demasiada de açúcar pode estimular o desenvolvimento de tumores?

Um estudo que recém publicado no site da revista Proceedings of the National Academy of Sciences destaca a muito discutida, mas pouco compreendida relação entre glicose e câncer.

A pesquisa também tem implicações importantes para outras doenças, como o diabetes. Sabemos desde 1923 que células tumorais usam muito mais glicose do que células normais. As pesquisas científicas ajudam entender como esse processo ocorre e como pode ser interrompido para controlar o crescimento dos tumores.

Durante o crescimento de células normais ou cancerosas ocorre um processo no nível celular que envolve tanto a glicose (açúcar) como a glutamina (aminoácido). Esses dois são essenciais para o crescimento celular e acreditava-se que funcionavam de modo independente.

Esse estudo mostra que glicose e glutamina são interdependentes. Os pesquisadores descobriram tal relação ao observar que, ao restringir a disponibilidade de glutamina, a utilização de glicose também era interrompida.

Em resumo, se não temos glutamina a célula entra em uma espécie de curto-circuito por causa da falta de glicose. Isso, por sua vez, suspende o crescimento das células tumorais.

O trabalho focou em uma proteína chamada mondoA, responsável por ligar e desligar genes. Na presença da glutamina, a proteína bloqueia a expressão de um gene conhecido como TXNIP.

Estima-se que o TXNIP seja supressor de tumores, mas, quando é bloqueado pela mondoA, ele faz com que as células passem a ingerir glicose, o que, por sua vez, estimula o crescimento de tumores.

O câncer é uma doença que se manifesta através de mais de 100 formas, proporcionadas por sucessivas mitoses que ocasionam tumores benignos e malignos.

O número de casos vem crescendo devido aos vários fatores que desencadeiam as neoplasias, dos quais vem se destacando os maus hábitos alimentares.

Uma das principais metas da alimentação consiste em manter o organismo em equilíbrio ativo com a natureza, proporcionando maior tempo de vida e melhor qualidade da mesma, especificamente nos aspectos físico e mental do ser humano.

Uma dieta desequilibrada com alto consumo de gorduras saturadas e hidrogenadas, ou ainda algumas substâncias com alta toxicidade nos alimentos podem vir a ocasionar a gênese carcinogênica.

Algumas substâncias adicionadas aos alimentos, como os corantes e os conservantes, acumulam-se no organismo e deve-se tomar um cuidado maior quanto as suas doses de ingestão diária. Mesmo considerando-se uma parcial eliminação dessas substâncias e uma degradação metabólica da mesma, deve-se destacar que não existem informações bem definidas para cada substância quanto

a dose diária de ingestão e o risco da carcinogênese. Dependendo da substância, uma pequena dose ingerida diariamente e por tempo prolongado, pode resultar no câncer.

Portanto, hábitos alimentares em que o teor nutricional está em desequilíbrio, devem ser evitados. A recomendação é a manutenção da dieta em perfeito equilíbrio nutricional, que enfatize maior ingestão de fibras, antioxidantes, carotenóides, vitaminas, proteínas e ainda rica em ácidos graxos ômega 3, propicia o auto controle fisiológico do organismo, além de aumentar a resistência imunológica.